Desporto

Fórmula Benetton

Benetton deixou uma marca indelével no mundo da Fórmula 1.

No início dos anos 80, a United Colors of Benetton patrocinou primeiro a equipa inglesa da Tyrrell e depois a italiana da Alfa Romeo. Mas a revolução ocorreu em 1986, quando Luciano Benetton decidiu assumir um escuderia por cerca de dois milhões de libras.

É o começo de uma aventura emocionante. Nos primeiros anos, a Benetton Formula desempenha o papel de outsider, cujo trabalho é importunar as duas grandes escuderias do momento: Williams e Ferrari. Entre 1988 e 1990, a Benetton conquistou dois bronzes e um quarto lugar na classificação mundial de construtores, com algumas vitórias em circuitos de prestígio.

Em 1991, a Benetton Formula contratou um jovem piloto alemão: Michael Schumacher. Depois de um terceiro lugar em 1993, Schumacher venceu a classificação dos pilotos em 1994 e fez o bis no ano seguinte, levando a Benetton a triunfar também na classificação de construtores. É o ápice da Benetton Formula, que nos anos seguintes obterá boas colocações.

Em 2001 - depois de ter disputado 260 Grandes Prémios, vencendo 27 - a escuderia foi vendida à Renault.

O balanço para a Benetton é positivo: além das vitórias na pista, a aventura na Fórmula 1 trouxe consigo um aumento exponencial na popularidade da marca e um know-how amplo em fibras e tecidos de alta tecnologia, adquiridos durante o estudo sobre roupa para pilotos.